Como forma de se libertar do crédito e de conseguir investir em áreas mais cruciais para o negócio, muitas empresas optam pela locação. Conheça o que é o renting de equipamentos e a primeira empresa portuguesa a entrar nesta área de negócio.

O empreendedorismo está em voga e são inúmeros os casos de start-ups que surgem no panorama empresarial português com novas ideias e novos negócios. Nascidas, na sua maioria, nas habitações dos seus proprietários, estas empresas enfrentam sérias dificuldades quando tentam “dar o salto” para instalações próprias. Ultrapassado o primeiro obstáculo – a localização de um espaço com o tamanho e renda adequados – estas jovens empresas têm ainda de o equipar, tanto com mobiliário como com equipamento para uso no dia-a-dia: impressoras, climatização... Enfim, a lista é grande e onerosa, o que limita as possibilidades de investimento no próprio negócio e, em última análise, pode condicionar o sucesso.

Daí que muitas empresas optem por utilizar o renting de equipamentos como forma de libertar capital para investir noutras áreas, mas também para conseguirem prever os custos correntes da empresa, uma vez que esta solução contempla uma renda mensal fixa durante a duração do contrato. Além disso, o renting de equipamentos permite aceder a um segmento de mercado superior, muitas vezes inalcançável para uma empresa recém-nascida, e libertar linhas de crédito para áreas onde são realmente necessárias.

Mas nem só as start-ups e PME beneficiam com esta solução. Mesmo as multinacionais usam este expediente para manter os custos com a sua operacionalidade controlados, beneficiando da oferta de instalação, manutenção e assistência técnica durante a vigência do contrato, reduzindo tanto os tempos de paragem como os riscos operacionais. Outra área onde o renting leva vantagem sobre a compra é no que diz respeito às deduções fiscais, uma vez que o valor das mensalidades pode ser deduzido na totalidade em sede de IRC, contabilizando-se na categoria “Rendas e Alugueres”.

O renting de equipamento permite aceder a um segmento de mercado superior, muitas vezes inalcançável para uma empresa recém-nascida, e libertar linhas de crédito para áreas onde são realmente necessárias.

Também no caso de empresas que operem em áreas onde a evolução tecnológica é rápida o renting se apresenta como uma boa solução. Para as empresas que sentem dificuldade em manter-se atualizadas – pois o investimento necessário é avultado – o renting permite fazer o upgrade do equipamento, sem necessidade de aplicar capital na compra de um equipamento novo nem a preocupação de ter de se desfazer do antigo com o mínimo impacto económico possível, o que provavelmente acontecerá através de uma venda a terceiros e implicará mais tempo despendido e mais burocracia.

Renting em Português

No nosso país existem já várias empresas que se dedicam a esta atividade, mas a primeira a dar conta desta oportunidade de negócio foi a Newrent, que opera no mercado há 17 anos. O conceito que serviu de base à empresa surgiu quando Vasco Rodrigues tentou equipar um escritório. “Quando cheguei à conclusão de que, para equipar uma empresa, os custos eram tão elevados, quase desisti”, como conta o agora administrador da Newrent, que se dedica à locação de equipamentos e mobiliário de escritório.

O conceito da empresa, pioneira neste segmento de mercado, é “chave na mão”. Com exceção dos equipamentos informáticos, a oferta da Newrent engloba todos os equipamentos necessários para colocar um escritório a funcionar a 100%, das cadeiras às mesas de reuniões, passando pelas impressoras, blocos de gavetas e estantes, sem esquecer a climatização dos espaços. Da mesma forma, não existe uma oferta padronizada. Cada projeto é feito à medida do cliente e tem como base um estudo preliminar, a partir do qual é elaborada a proposta. Assim que é aceite, tudo fica nas mãos da Newrent, que se responsabiliza não apenas pelo investimento na compra dos produtos e respetivo seguro, como pela sua instalação e manutenção durante a vigência do contrato, que pode oscilar entre os 18 e os 48 meses.

“Quando cheguei à conclusão de que, para equipar uma empresa, os custos eram tão elevados, quase desisti”

Sendo a única empresa a operar nestes moldes, como afirma Vasco Rodrigues, a sua base de clientes é vasta, cabendo a grandes empresas um total de 47,5% dos contratos celebrados em 2016. “São empresas para quem a manutenção de uma imagem é importante”, diz este responsável. Os restantes 52,5% dos contratos pertencem a empresas de menor dimensão, que veem nos preços reduzidos uma mais-valia.

A oferta da Newrent permite criar um posto de trabalho – cadeira, secretária e bloco de gavetas – por apenas €7/mês durante 48 meses, um valor que permite que as novas empresas se possam “focar no crescimento do seu negócio”, como adianta Vasco Rodrigues. E se algumas empresas optam por adquirir um pack total, outras preferem ir adicionando produtos à medida das suas necessidades, como conta o administrador: “Às vezes recebemos pedidos de clientes onde instalámos um sistema de climatização e que, tendo ficado satisfeitos com o serviço que prestamos e sabendo da abrangência da nossa oferta, acabam por ampliar o seu envolvimento connosco a outras áreas”.

"O rápido avanço tecnológico na medicina e a deterioração normal dos equipamentos, resultante do seu uso intensivo, são, por si só, motivos mais do que suficientes para justificar a opção pela locação."

Negócio variado

Apesar de o setor dos serviços representar 54% dos contratos celebrados em 2016, a Newrent tem como clientes “muitas empresas há muitos anos estabelecidas no mercado, nas mais diversas áreas de negócio”, refere o seu administrador. Exemplo disso é a área da Saúde, onde “o rápido avanço tecnológico na medicina e a deterioração normal dos equipamentos, resultante do seu uso intensivo, são, por si só, motivos mais do que suficientes para justificar a opção pela locação”, diz Vasco Rodrigues, justificando assim o crescimento que se tem verificado nesta área, responsável em 2016 por 18% dos contratos da Newrent.

Entre os vários equipamentos que a empresa loca a hospitais públicos e privados encontram-se o mobiliário, mas também equipamentos destinados a algumas especialidades, sempre acompanhados por assistência técnica prestada por profissionais qualificados. Porque nesta área é ainda mais importante que todos os equipamentos estejam a funcionar a 100%, na renda mensal está incluída a assistência técnica, mas também operações periódicas de manutenção preventiva dos vários equipamentos e ainda intervenções corretivas sempre que seja necessário, estas últimas gratuitas caso a avaria não resulte de má utilização.

No setor da saúde, os contratos celebrados pela Newrent são habitualmente de 48 meses, mas é possível que tenham durações diferentes, já que “é importante irmos ao encontro das necessidades dos nossos clientes”, conclui o administrador da Newrent, um mantra que parece explicar o seu sucesso.

Menos de €10 por posto de trabalho? Sim, é possível.

Para quem ainda duvida do potencial de poupança que o aluguer de equipamentos oferece, eis um exemplo de como é possível criar um posto de trabalho por menos de dez euros/mês, sem prescindir de um bom design. Mas não precisa de se ficar pelo básico. O renting de equipamentos permite acrescentar mobiliário e equipamentos à medida das suas necessidades.

Veja, na imagem abaixo, como pode construir a sua própria solução.

Alonga Quadra 2
1000 x 600 x 740
1,88 €/mês*
Secretária Quadra 2
1600 x 800 x 740
3,19 €/mês*
Bloco Rodado
Arquivo TACK
1,68 €/mês*
3 Corpos de Armários
950 x 400 x 800 (cada)
11,41 €/mês* (3,80 € x 3)
Cadeira Rodada CLASS
3,11 €/mês*

*aos valores apresentados acresce IVA à taxa legal

O renting de equipamentos é a forma mais eficiente de conseguir
o escritório ideal para a sua empresa.

Newrent